Irmão do Jorel

Vini Wolf - Diretor e roteirista


Quem é o Vini Wolf?

É um roteirista e storyboarder. Fui diretor de animação, designer de personagens e roteirista da criação da primeira temporada do Irmão do Jorel. Também roteirizei Tito e os Pássaros.

Vocês que fazem O Irmão do Jorel adoram abacate?
Adoramos abacate e inhame, sim. Mas cada membro da equipe é livre para escolher sua própria comida.

A vovó Juju vai aparecer em TODOS os episódios?
Acreditamos que sim. Mas a vida é imprevisível.

Como é que o pirulito da outra avó nunca acaba?
Essa é muito difícil. Perguntei para os colegas da equipe. O primeiro respondeu que ela não tem saliva. O segundo que não é um pirulito. O terceiro que o segredo é deixar o pirulito na boca sem nunca chupar. A quarta disse: sabe a teia do homem aranha? Então...

A história tem um fim?
A série nunca vai acabar. Mas depende das eleições.

Como vocês fazem a voz da vovó Juju?
Quando fizemos o piloto – que é um tipo de episódio teste –, ainda no processo de criação da série, os próprios membros do estúdio - animadores, ilustradores e diretores - fizeram as vozes dos personagens. Andrei Duarte fez a voz do Irmão do Jorel, eu fiz a voz do Perdigoto e do Steve Magal, o Leo Brasil fez a voz da diretora Lola e o Zé Brandão, que é um dos donos do estúdio, fez a voz da vovó Juju. Daí quando fizemos o primeiro episódio encontramos os atores que faziam vozes parecidas, e ainda melhores do que as que tínhamos criado, porque eles trabalham com isso mesmo. Daí a Melissa Garcia, excelente atriz, fez a voz da Lara e da vovó Juju lembrando do jeito como a mãe dela fala com ela. Uma querida.

Por que vocês inventaram o personagem Steve Magal com o queixo em forma de bunda?
Porque quando tínhamos a idade de vocês os heróis que apareciam na TV tinham o queixo em forma de bunda.

Vocês se inspiraram numa escola real?
Sim. Cada roteirista traz para os episódios lembranças de experiências que aconteceram na infância de cada um... mas não todas elas. Apesar de cada um ter estudado numa escola diferente em diferentes lugares do Brasil, as nossas lembranças dos inícios dos anos 90 tinham muito em comum.

Por que o Jorel é a pessoa mais bonita da história se ele nem é o principal?
Por causa dos belezitos. Mas a vovó Juju ensinou que todos são principais.

Vocês gostam de contar piadas?
Não.

De onde veio a ideia do desenho?
Veio das lembranças do criador da série, o Juliano Enrico. A família dele era bem parecida.

Quantas horas vocês precisam pra fazer cada episódio?
Muitas. Tipo… dois meses. Como cada dia tem 24 horas e cada mês tem 30 dias, vinte e quatro vezes trinta dá… mil quatrocentos e quarenta horas, aproximadamente.

No episódio da rodovia incompleta, por que quando mostram o flashback tem um OVNI na estrada?
Porque os OVNIS caem. Mas nem sempre as pessoas estão vendo. Vocês viram?

Por que a casa é tão bagunçada?
É um protesto.

Vocês desenham no computador ou no papel?
Nos dois.

Qual a coisa mais legal de fazer O Irmão do Jorel e a mais chata?
A parte mais legal é criar elementos que surgem inesperadamente a cada episódio, como personagens e cenários novos. A parte chata: acordar cedo, ninguém gosta muito. Mas é bom.

O que você mudaria no desenho?
O salário dos animadores.

Você acha que esse desenho é pra crianças e adultos ou só pra crianças? Por quê?
Quando a gente fez, achávamos que os velhinhos iam gostar, porque ninguém nunca pensa nos velhos na hora de fazer desenho. Já perceberam? É muito triste.

Qual o desenho animado preferido de vocês?
Cada um tem o seu. Mas eu mesmo não gosto de desenho. Prefiro filme.

Qual é o nome do irmão do Jorel?
É Carlos. Mentira, não é não.

 

Agosto de 2019.
[Colaboraram nesta entrevista: Maria Erber Schøllhammer e Felix Erber Schøllhammer]


TORVELIM | Todos os direitos reservados © 2019 | contato@torvelim.com.br